Convite: Barragens de Mineração – caso de Oriximiná (Pará)

bannerEvento debate impactos e riscos das barragens de mineração na Amazônia

Comissão Pró-Índio de São Paulo e Defensoria Pública do Estado do Pará promovem, em 21 de novembro, debate sobre as  barragens de rejeitos da Mineração Rio do Norte, a maior produtora de bauxita do Brasil.

O evento, aberto ao público, tem por objetivo ampliar o conhecimento e o debate sobre os impactos ambientais e os riscos das barragens de rejeito de mineração a partir do caso de Oriximiná, no Pará. O debate contará com a presença de lideranças de comunidades situadas a jusante das barragens bem como de pesquisadores.

A Mineração Rio do Norte, em Oriximiná (PA), é a quarta mineradora em número de barragens no Brasil, segundo a Agência Nacional de Águas. São 23 barragens instaladas em plena floresta amazônica.  Há mais uma barragem em construção e outras nove estão previstas para armazenar os rejeitos da maior produtora de bauxita do Brasil que tem como acionistas a Vale, South32, Rio Tinto Alcan, Companhia Brasileira de Alumínio, Alcoa e Hydro.

Uma das barragens encontra-se a apenas 400 metros do Quilombo Boa Vista. Mesmo assim, a legislação não exige e não existe um plano de emergência que oriente a população no caso de rompimento da estrutura.

Tão pouco as comunidades ribeirinhas Boa Nova e Saracá, localizadas a jusante das barragens TP1 e TP2 classificadas como de alto dano potencial associado, foram preparadas para enfrentar situações de emergência.

 

banner

Palestrantes:
– Aildo Viana dos Santos, coordenador da Associação da Comunidade Remanescente de Quilombo Boa Vista.
– Aluízio Silvério dos Santos, coordenador da Associação Quilombola Mãe Domingas.
– Carlos Botelho da Costa, superintendente DNPM no Pará.
– João Carlos Ribeiro Cruz, professor do Instituto de Geociências da Universidade Federal do Pará.
– Jones Gonçalves da Luz, coordenador da Comunidade Ribeirinha Boa Nova.
– Luiz Jardim de Moraes Wanderley, professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.
    •    
Moderadoras:
– Andréia Macedo Barreto, defensora pública do Estado do Pará.
– Lúcia M. M. de Andrade, coordenadora executiva da Comissão Pró-Índio de São Paulo.
    •    

Quando: 21.11.2016
Horário: das 14 às 17 horas
Local: Auditório da Defensoria Pública, Rua Padre Prudêncio nº 154  –  Belém (PA).
Evento aberto ao público e gratuito

Informações para imprensa
Bianca Pyl (Comissão Pró-Índio de São Paulo)
[email protected]

http://comissaoproindio.blogspot.cl/2016/11/evento-em-belem-debate-impactos-e.html


Publicado el: 17 Noviembre 2016
Categorias: Brasil
Conflictos Relacionados: